CONTENT OF PAGE

A relação entre a cintura e a estatura pode indicar sérios riscos de s

Guilherme Poyares | 28/02/2020

O acúmulo de gorduras em excesso na região abdominal pode indicar riscos de doenças cardiovasculares. 
De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a medida para a cintura não pode ultrapassar 94 cm para os homens e 90 cm para as mulheres. Mesmo as pessoas ativas fisicamente e sem sobrepeso, mas com valores de relação cintura-estatura próximos ao limite de risco, podem desenvolver distúrbios no coração. 
A relação cintura — estatura (RCE) fornece informações mais precisas de riscos cardiovasculares do que o Índice de Massa Corporal (IMC), que avalia a distribuição da gordura pelo corpo. 

Como fazer a medição para chegar ao resultado

O RCE é obtido pela divisão da circunferência da cintura pela estatura. Para calcular a relação cintura-quadril deve-se utilizar uma fita métrica para avaliar:
Tamanho da cintura, que deve ser medido na parte mais estreita do abdômen ou na região entre a última costela e o umbigo;
Tamanho do quadril, que deve ser medido na parte mais larga das nádegas.
Meça a sua altura. Assim como na medição da cintura, você deve tentar obter o valor da altura com o máximo de precisão possível. Use a medida que você já conhece ou peça a alguém que o ajude nesse processo.
A fórmula para determinar essa proporção é: cintura/altura. Importante usar a mesma medida para os dois. (Centímetros por exemplo).

A gordura visceral

Chamamos a gordura que se acumula entre os órgãos de visceral. Localizada nas camadas mais profundas do abdômen, normalmente deixa o corpo em formato de maçã. 
Essa gordura fica localizada ao redor de órgãos importantes do corpo humano como o fígado, o pâncreas e os rins. É a gordura visceral que cria aquela aparência de “barriga de cerveja” por puxar a parede abdominal para fora.
Alguns fatores responsáveis pelo acúmulo de gordura visceral são: o consumo de muitas calorias, os hormônios sexuais, a produção de cortisol, os hormônios do crescimento e o açúcar, que também podem determinar por que uma pessoa tem mais gordura visceral do que a outra.



Corpo em formato de maçã e as doenças associadas

O formato corporal de maçã está associado aos problemas cardiovasculares. A síndrome metabólica, gera um maior risco para a gordura presente na circunferência abdominal. Outras patologias referentes ao acúmulo de adiposidade na região são os valores da pressão arterial, da glicemia, de triglicérides e do HDL-colesterol. 
Os indivíduos que ainda não apresentam diabetes ou doença coronariana, a presença de síndrome metabólica associa-se ao maior risco de desenvolvimento de intolerância a glicose, diabetes e eventos isquêmicos.
O índice de massa corporal — IMC é menos importante do que a localização da gordura, já que pessoas com mesmo IMC, mas que têm gordura localizada nos quadris apresentaram menos problemas no funcionamento dos rins e uma pressão arterial mais próxima da normalidade nesse órgão. 
Fique atento aos perigos de acumular gordura na região abdominal pois independe das condições de saúde de cada indivíduo, mesmo os mais saudáveis, mas com um acúmulo de gordura podem apresentar sérios danos à saúde. 
Os marcadores inflamatórios costumam estar elevados nos portadores de obesidade central e sabe-se que a inflamação é um dos precursores da aterosclerose.
Insuficiência Renal Crônica — Uma das maiores incidências de problemas renais crônicos está relacionado à hipertensão. O aumento da pressão arterial lesiona os vasos dos rins e o órgão fica sobrecarregado, perdendo a sua função de filtragem.
Controle o diabetes — É a segunda maior causa de insuficiência renal crônica. A alteração dos vasos dos rins leva a perda de proteínas pela urina. Com o tempo, uma quantidade cada vez maior de substâncias tóxicas fica retida no organismo, o que pode levar à morte.
Controle o peso — Pessoas com excesso de peso tem um risco maior de desenvolver hipertensão e diabetes, o que já é motivo o suficiente para não deixar o ponteiro da balança subir. A obesidade altera a forma como o sangue chega nos rins sobrecarregando o órgão. Além disso, estar acima do peso é fator de risco para o colesterol e triglicérides alto.

  • Alimente-se bem, priorize Carnes, legumes, verduras, frutas e castanhas
  • Evite alimentos processados e carboidratos refinados
  • Evite açúcar
  • Evite bebidas alcoólicas
  • Livre-se do cigarro
  • Inclua mais movimento no seu dia a dia
  • Pratique exercícios físicos
  • Durma pelo menos 7 horas por noite todos os dias

compartilhe este post

#vemsecuidar