CONTENT OF PAGE

Alimentos orgânicos: Caro ou Acessível?

Guilherme Poyares | 04/03/2020

“Os alimentos orgânicos são muito caros” uma frase que ouvimos com muita frequência, mas será que realmente são muito caros e pouco acessíveis

Em qualquer supermercado que oferece produtos orgânicos, eles serão mais caros que os convencionais, porém é inteiramente possível, e sem muito esforço, encher um carrinho de compras para a semana com alimentos convencionais e ainda assim pagar mais caro do que uma semana de produtos orgânicos. 

Se fizer uma conta rápida nos corredores dos supermercados, dá para perceber que esse não é necessariamente o caso. Produtos orgânicos são bem acessíveis. Além de escolher os produtos certificados, automaticamente estamos valorizando a pequena produção agrícola, pequenas famílias e não grandes empresas. 

Nos dias mais agitados, cheios de compromisso ou até mesmo a famosa preguiça, os alimentos convenientes são sempre aqueles industrializados e sem necessidade de preparação. É realmente atraente a possibilidade de comer um item barato, mas extremamente aterrorizante pensar que aquele produto contém muitos conservantes, corantes e todos aqueles nomes que nem fazemos ideia do que são. 

As grandes marcas não estão interessadas em alimentos saudáveis e a vida corrida faz parecer que descascar uma maçã ou uma cenoura não vale tanto a pena. 

O que geralmente esquecemos é que problemas médicos custam tempo e dinheiro, esse que não estamos dispostos a gastar com os produtos sem “venenos”.

É hora de mudar o discurso, começando pelos números reais: no preço dos alimentos de empresas multinacionais que são mais caros do que os orgânicos. 

Os produtores orgânicos são responsáveis pela terra e os consumidores orgânicos tem a certeza que estão recebendo proteção contra resíduos de pesticidas tóxicos, antibióticos ou hormônios de crescimento sintéticos, ingredientes geneticamente modificados e solventes tóxicos. 

Vale a pena o custo extra quando sabemos que a produção orgânica apoia boas práticas ambientais e práticas humanas de criação animal.

Em vez de pagar mais para evitar resíduos tóxicos e ingredientes químicos, os compradores estão consumindo a conveniência do produto industrializado. 

Em alguns casos, a palavra “natural” no rótulo aumentou significativamente o preço, mesmo que essas ferramentas de marketing enganosas não signifiquem nada legalmente. Os alimentos são produzidos com produtos agroquímicos tóxicos e outros materiais que ninguém em sã consciência consideraria “natural”. 

Orgânico é caro? Orgânico é "elitista"? É hora de direcionar a indignação para onde ela pertence. As empresas que compram as colheitas mais baratas - subsidiadas pelo dinheiro dos contribuintes, pulverizadas com pesticidas, geralmente geneticamente modificadas - gastam dinheiro em belos pacotes de anúncios e depois lucram à custa da confusão do consumidor.

Enquanto isso, as abelhas estão morrendo, os animais são abusados ​​em fazendas industriais e a terra é envenenada pela agricultura convencional.

Temos uma responsabilidade coletiva conosco, com as pessoas trabalhadoras que produzem nossa comida, com os animais que criamos para nosso alimento e com a Terra como compradores exigentes. Devemos a nós mesmos e à sociedade fazer tudo o que pudermos para apoiar a agricultura orgânica.

 

compartilhe este post

#vemsecuidar